Filósofo explica crescimento da rede social de Gabriel Diniz após a sua morte

No momento que a morte do cantor Gabriel Diniz foi anunciada, seu perfil no Instagram tinha pouco mais de 3,5 milhões de seguidores. Este número já chegou a 4,5 milhões de seguidores em menos de vinte quatro horas depois
Compartilhe:
01/06/2019

No momento que a morte do cantor Gabriel Diniz foi anunciada, seu perfil no Instagram tinha pouco mais de 3,5 milhões de seguidores. Este número já chegou a 4,5 milhões de seguidores em menos de vinte quatro horas depois da confirmação da morte do cantor.

Para além das homenagens e dos fãs do cantor, o filósofo e escritor Fabiano de Abreu fala sobre o que leva pessoas a se mobilizarem com a morte de famosos: "é muito comum vermos o interesse popular por fatalidades e tragédias, assim como a comoção que notícias da morte de celebridades causa, de modo que a informação é amplamente divulgada em todos os veículos de comunicação, o interesse público é imediato".

Fabiano aponta que existe um motivo inato para que isso aconteça, e não significa necessariamente que as pessoas sejam más ou tenham apreço pela morte: "somos por natureza egoístas, mas isso não significa que desejamos o mal do próximo, e sim que sempre queremos o melhor para nós mesmos. A própria consciência de que pessoas famosas também estão sujeitas à morte e a consciência da própria mortalidade”.

Para o filósofo, quando famosos morrem e acontece o curioso fenômeno do aumento do número de seguidores no perfil do falecido nas redes sociais, isto pode ser explicada com diversos fatores: “tragédias atraem audiência e isso explica o aumento dos seguidores nas redes sociais de famosos que já se foram. As pessoas inconscientemente gostam de propagar notícias de tragédias e sempre que isto ocorre vira assunto em rodas de bate papo em bares e mesas de amigos. Além disso, alguns fãs podem querer seguir o perfil do artista ou celebridade morta para não perder a conexão com aquela figura e manifestar sua admiração por aquela pessoa”.