Pessoas “blindadas” são mais interessantes

Quando a pessoa tem nuances, matizes, continuamos a desvendar seus segredos, etapa por etapa, segredo por segredo, como se cada pedaço exposto viesse com sabor de vitória.

Créditos do fotógrafo Divulgação

Compartilhe:
18/11/2020

Há sedução no mistério, no processo de desconstruir, no ingrediente-surpresa do que não é totalmente visível e acessível.

Conquistar uma pessoa misteriosa valoriza quem a conquistou. Quando a pessoa tem nuances, matizes, continuamos a desvendar seus segredos, etapa por etapa, segredo por segredo, como se cada pedaço exposto viesse com sabor de vitória.

Há sempre novas descobertas a serem feitas, isso é instigante, é uma força motriz que não nos deixa parar, não nos demove.

Há um ponto fulcral: a satisfação. A satisfação de ter conquistado uma pessoa assim faz com que fiquemos mais acorrentados a essa personalidade que não para de nos surpreender.

Pessoas difíceis são mais interessantes.

As melhores relações guardam sempre algum mistério.

Ninguém resiste à verdade total e absoluta. Tem que existir sempre um equilíbrio entre o rotineiro e o que nos tira dos padrões, ser casa mas tirar o chão também. O sentir que há espaço por preencher, por descobrir faz com que nos superemos em ordem a manter o interesse da pessoa em nós também. No final das contas ter uma pessoa interessante e exigente é também uma forma de aprendizagem e superação. Dessa forma o desinteresse não se instala e a potência do sentimento encontra sempre novas formas de ser reabastecida.

O importante da não acessibilidade é também não a levar ao extremo. Tem que haver brechas para que o outro também possa entrar, tem que haver entrega para que haja recompensa para ambos.

O mistério é instigante, deixa sempre perguntas no ar e gera no outro uma vontade quase perturbadora de entrar no seu mundo. O mistério move o desejo e atrai.