"Brasileiro é o povo mais ciumento pois é mais promíscuo", diz filósofo Fabiano de Abreu

Gary Brase, da Universidade de Sunderland, na Inglaterra, analisou o ciúme em um estudo realizado em muitos países e descobriu que a maior diferença entre o ciúme de homens e mulheres ocorre no Brasil e a menor no

Créditos do fotógrafo Gabriella Melo

Compartilhe:
30/08/2018
Gary Brase, da Universidade de Sunderland, na Inglaterra, analisou o ciúme em um estudo realizado em muitos países e descobriu que a maior diferença entre o ciúme de homens e mulheres ocorre no Brasil e a menor no Japão.
 
O pesquisador e filósofo Fabiano de Abreu, autor do livro “Viver Pode Não Ser Tão Ruim”, discorda do posicionamento de alguns especialistas e diz que uma outra pesquisa, a de infidelidade, pode ser o ponto de maior relevância para sermos o primeiro colocado nesse quesito: "Quando pensamos em ciúme, pensamos em insegurança, carência, medo de ficar sozinho e de colocar em prova a moral do indivíduo. Mas para mim, o ponto mais importante para o brasileiro ser o povo mais ciumento segundo a pesquisa é devido a sua cultura promíscua".
 
Para o escritor, são inúmeros fatores para explicar o ciúme, todos cabíveis, dentro de uma normalidade para este sentimento. Mas seria a infidelidade que é mais comum nesse país que em outros países, que influência em uma maior insegurança do brasileiro. 
 
"Existem diversos fatores para tentar explicar o ciúme, li especialista dizer que é cultural no sentido histórico, antigamente não se poderia provar a paternidade, por isso preferiam parceiras que não tivessem sexo com outro homem. Outro dizem sobre a questão do conservadorismo. Enfim, são inúmeras explicações cabíveis, naturais e comuns para esse sentimento. Estive em mais de 10 países, países que me relaciono com pessoas cotidianamente e tirei minhas próprias conclusões sobre esse sentimento que pode ser muito perigoso. Como pesquisador, não posso ter apenas minhas conclusões, por isso, conversei com pessoas desses países e também com brasileiros de diferentes condições sociais e profissões, já que tenho um tema em andamento relacionado a infidelidade no país, que irei apresentar no futuro próximo”, conta Fabiano de Abreu.
 
Para ele, o medo de ser traído do brasileiro é algo que vem em primeiro lugar: “Claro que há o machismo, o conservadorismo e a cultura e diversos fatores para se ter esse medo. Mas é essa insegurança que ocasiona esse ciúme, afinal, somos o país que mais trai no mundo. Esbarramos com casos e mais casos de traição em nosso cotidiano e muitos temem passar por isso. A probabilidade de um homem ou uma mulher serem 'cantados' na rua no Brasil é muito maior que em outros países, mesmo sabendo que a pessoa é casada ou está em um relacionamento sério. Isso também tem a ver com respeito e educação, que já iríamos para uma conversa mais longa ainda. O tema ciúme e infidelidade é algo que nos tomaria horas e horas de explicações e teorias para um tema tão relevante e perigoso já que mexe com um sentimento que causa consequências".
 
O pesquisador e filósofo finaliza dizendo que esse é um tema interessante e que teria diversos outros argumentos para sua teoria e se coloca à disposição para esclarecer e provar com dados sobre o que tem dito sobre o tema 'ciúme' e 'infidelidade' estarem ligados diretamente. 
 
Fabiano de Abreu também é jornalista, escritor e seu livro está em bibliotecas e livrarias no Brasil, Portugal e Angola.
 
Referências: 
 
Pesquisa sobre o brasileiro ser o mais ciumento: https://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,homem-brasileiro-e-o-mais-ciumento-diz-pesquisa,20030707p30360
Pesquisa sobre o brasileiro ser o mais infiel: https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/pesquisa-revela-que-brasileiros-sao-campeoes-de-infidelidade-disfuncao-sexual-2940842